João Paulo Oliveira da Costa

Harvard, Pós-doutorado
2016-2017

Postdoctoral Fellow, Massachusetts General Hospital/Harvard Medical School

CV Lattes

Área de conhecimento: Medicina

Tema do projeto de pesquisa: Detecção de vesículas extracelulares em pacientes com glioblastoma e gliomas pediátricos

Palavras-chave: Carcinogênese, Patologia Experimental, Exossomos, Células Tumorais Circulantes, Sequenciamento de Ácidos Nucléicos

 

Resumo:  Atualmente o nosso laboratório trabalha tentando elucidar mecanismos pelos quais os tumores primários (glioblastomas e gliomas de alto grau) conseguem disseminar proteínas e ácidos nucléicos na circulação sanguínea através de vesículas extracelulares. Acredita-se que a liberação destes conteúdos vesiculares seja fundamental tanto para a migração das células do tumor, quanto para a preparação do tecido que receberá parte destas células para o estabelecimento de metástases. 
Utilizando conceitos de microfluídica, nosso grupo desenvolveu um chip capaz de selecionar positivamente vesículas extracelulares originadas de glioblastomas, e à partir desta descoberta, nós tentamos entender de que forma estes conteúdos vesiculares podem ser utilizados tanto em pesquisa básica (para que entendamos melhor o processo em si), quanto em pesquisa clínica (avaliando a capacidade destes conteúdos de serem marcadores de tratamento ou de gravidade da lesão). Levando-se em conta que a progressão dos tumores cerebrais é rápida, e as modalidades de tratamento e acompanhamento são exíguas, o desenvolvimento de "biópsias líquidas" pode ser um passo crucial na melhora tanto das decisões clínicas quanto do manejo destes pacientes. Com um método mais fácil e rápido de acompanhamento da doença em tempo real, acreditamos que seja possível agilizar o tratamento e permitir uma sobrevida melhor a este grupo de pacientes.


A grande idéia que eu imagino ser importante para o país, dentro do meu campo de pesquisa, é o desenvolvimento de métodos de diagnóstico e tratamento simples, baratos e eficazes, uma vez que nossa infraestrutura médica longe dos grandes centros é incapaz de absorver os custos dos testes de ponta. Por mais interessantes que sejam muitos dos avanços no diagnóstico, neste momento é inviável reproduzi-los para toda a população. Seria importante também melhorar alguns canais de comunicação para que a prevenção ajude a diminuir o número de casos, e este é sem dúvida um objetivo secundário importantíssimo – melhorar a comunicação entre os cientistas e a população em geral.  

Publicações mais relevantes:

  1. Oliveira-Costa JP, de Carvalho AF, dada Silveira GG, Amaya P, Wu Y, Park K-JJ, Gigliola MP, Lustberg M, Buim MEC, Ferreira EN, et al. Gene expression patterns through oral squamous cell carcinoma development: PD-L1 expression in primary tumor and circulating tumor cells. Oncotarget. 2015;6 (25) :20902-20.
  2. Soave DF, Oliveira da Costa JP, da Silveira GG, Ianez RCF, de Oliveira LR, Lourenço SV, Ribeiro-Silva A. CD44/CD24 immunophenotypes on clinicopathologic features of salivary glands malignant neoplasms. Diagn Pathol. 2013;8 :29
  3. Oliveira LR, Oliveira-Costa JP, Araujo IM, Soave DF, Zanetti JS, Soares FA, Zucoloto S, Ribeiro-Silva A. Cancer stem cell immunophenotypes in oral squamous cell carcinoma. J Oral Pathol Med. 2011;40 (2) :135-42.
  4. Oliveira LR, Ribeiro-Silva A, Costa JPO, Simões AL, Matteo MASD, Zucoloto S. Prognostic factors and survival analysis in a sample of oral squamous cell carcinoma patients. Oral Surg Oral Med Oral Pathol Oral Radiol Endod. 2008;106 (5) :685-95.